Escolha uma Página

Em cerimônia na sede da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável – FBDS, oficializou-se na última segunda-feira o Termo de Cooperação Técnica e Financeira para Implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Com a quantificação das reservas ambientais brasileiras e das áreas que necessitam de regularização, será possível definir diretrizes para a recuperação e revegetação, ampliando a sustentabilidade no País.

As atividades previstas pelo projeto serão viabilizadas pela confecção e análise de mapas georreferenciados, a partir de imagens de satélite que foram adquiridas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). De acordo com a Embrapa, o Governo já investiu cerca de R$ 90 milhões de reais em imagens de satélite e R$ 30 milhões em sistemas de informação. O convênio assinado com as entidades, orçado em R$ 6,5 milhões, envolverá o monitoramento de aproximadamente 4.100 municípios, localizados nos biomas Cerrado e Mata Atlântica.

“Vamos agregar os dados destes municípios, de maneira que se possa ter uma base homogênea de informação. Com isto, poderá se discutir quais são as áreas para se restaurar, qual a estratégia de recomposição e qual a métrica para fazer o Pagamento de Serviços Ambientais – PSA. É um programa inovador, que sinaliza o futuro do País”, afirmou a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

Além da ABAG, assinaram o Termo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Indústria Brasileira de Árvores (IBA), a União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo (Unica), a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida (CNseg), a Agroicone e o Instituto Aço Brasil (IABr).