Notícias da ABAG

Toda história merece ser contada. É por acreditar nisso que o Prêmio das Mulheres do Agronegócio chega à 4ª edição e começa a receber inscrições a partir desta segunda-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher. A nova edição da premiação foi anunciada durante live da influenciadora Rafa Brites, transmitida pelo Instagram dela e também no Youtube e Facebook da Revista Globo Rural.

Rafa conversou com as produtoras rurais Michele Rabelo Morais, Flávia Montans, Simoni Tessaro e Simone Dameto. Além de agricultoras, as convidadas da transmissão virtual também são as novas embaixadoras do Prêmio, e dividiram com o público um pouco das trajetórias, que incluem desafios, persistência e vitórias.

Histórias

Após uma sucessão familiar inesperada, Michele se viu no impasse de manter a empresa, tocada, anteriormente, pelo pai em Pato de Minas (MG), em equilíbrio entre produção e saúde financeira. “Para mim foi um grande presente estar a frente dos negócios, de ser uma mulher nova, tendo que enfrentar alguns preconceitos, mas abraçando isso com muito orgulho”. Orgulhosa, ela conta que a Fazenda CBM, leva as iniciais dela e de suas irmãs: Cintia e Bianca.

A história de Flávia Montans começa na região paranaense de Procópio Ferreira, mas foi em Rio Verde (GO) que ela se viu desafiada a tocar o negócio da família, inclusive por ser bisneta, neta e filha de agricultores. “De repente eu virei a chefe de família, tive que assumir a propriedade e tenho muito orgulho disso”, conta, ao se lembrar que precisou abandonar família e amigos no Paraná, mas que o esforço foi recompensado.

Durante a live, Flávia enalteceu o trabalho dos agricultores aliado à sustentabilidade. “Não tem como falar do agronegócio sem falar de sustentabilidade”, e fez questão de mencionar práticas adotadas em sua propriedade, como o plantio direto, uso de fertilizantes biológicos, adoção consciente de defensivos agrícolas, entre outras medidas. “Além de todo o agricultor ter o mínimo de 20% de reserva legal”, reforçou.

Outro exemplo de equilíbrio ambiental, social e econômico foi citado pela engenheira agrônoma e influenciadora Simone Dameto, de Goiânia (GO). Ela conta que, ao cultivar girassol para produção do óleo, tem uma parceria com apicultores durante a florada, a fim de contribuir com a polinização e a produção do mel de abelha.

“A mulher tem sensibilidade e costuma ser mais atenta à inovação. Por isso, dá para produzir e dá para preservar ao mesmo tempo”, defende.

No Sítio Santa Mônica, em Serranópolis do Iguaçu (PR), a líder cooperativista Simoni Tessaro lembra que assumiu a propriedade com a mãe e a irmã, ainda com 12 anos de idade. Defensora da produção segura e em grande escala, Simoni afirma que é possível garantir a alimentação para as próximas gerações e ao mesmo tempo manter preservação.

“Tem muitas práticas que às vezes fazemos e não são enxergadas, como a compostagem que fazemos e depois usamos nas nossas lavouras. Sou apaixonada pelo agro e pelas boas práticas, isso é possível”, diz.

Rafa Brites, que, recentemente, adquiriu uma propriedade rural de 120 mil m², disse que deseja ter dicas de plantio e administração no campo com as embaixadoras. “Devemos valorizar a sabedoria do solo, da cultura, do plantio, e a alimentação é a base de tudo. É muito importante valorizar o trabalho que as mulheres fazem com tanta dedicação”.

As outras embaixadoras do Prêmio Mulheres do Agro 2021 são: Tatiele Dalfior Ferreira (Governador Lindenberg, Espírito Santo); Mara Motter (Três Arroios, Rio Grande do Sul); Clarisse Liana Weber Volski (Pitanga, Paraná); Kamila Laida Guimaraes Aguiar (Rio Verde, Goiás); Luciana Dalmagro (Batatais, São Paulo) e Aretuza Negri (Piracicaba, São Paulo).

Inscreva-se

A premiação, idealizada pela Bayer, em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) e apoio da Revista Globo Rural, promove a valorização de produtoras rurais brasileiras que fazem a diferença no campo, se destacando à frente de propriedades de pequeno, médio e grande porte por suas gestões inovadoras e sustentáveis.

Para se inscrever, acesse www.premiomulheresdoagro.com.br até o dia 20 de agosto. As vencedoras serão reveladas durante o 6º Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, que terá formato digital em 2021, entre 25 e 27 de outubro. Desde a primeira edição, mais de 550 produtoras já se inscreveram na iniciativa, que premiou 27 delas de várias regiões do Brasil.

Perdeu a live e quer conferir? Assista abaixo na íntegra:

Fonte: REVISTA GLOBO RURAL